Chá, benefícios e curiosidades

O chá é uma das bebidas mais antigas do mundo. De modo geral, quando falamos de chá, incluímos diversas plantas (ou parte delas) nas infusões preparadas a partir de folhas (chá de alecrim, de louro, hortelã), frutos (maçã, romã), flores (camomila, flor de maracujá), entre outras.

O termo chá, refere-se à infusão da planta Camellia sinensis na forma seca. A planta da qual se faz o chá – é originária do leste da Ásia, mas hoje em dia o cultivo está em vários continentes. O chá tem um forte componente de identidade cultural na China e outros países asiáticos. Mas a bebida ficou famosa quando foi associada à tradição inglesa que criou o conceito de chá da tarde, normalmente acompanhado de sanduiches, biscoitos, torradas e geleias. Além de uma boa ideia para, saborosamente, quebrar a rotina, o chá ganhou valor cultural, econômico e científico ao longo dos séculos.

Os benefícios do chá extrapolaram as tradições asiáticas e inglesas e foram parar nas inúmeras publicações científicas. Várias pesquisas em laboratório vêm sendo realizadas para comprovar os vários benefícios que a planta a presenta, vindos as suas composições químicas.  Embora uma bebida simples e fácil de fazer, as propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias, antimicrobianas, anticancerígenas, anti-hipertensivas, neuroprotetoras, redutoras do colesterol e termogênicas colocam o chá em um lugar de destaque. Beber chá deixa de ser apenas uma tradição cultural para ser uma rotina saudável que protege a saúde e reduz o risco de várias doenças: artrite, obesidade, diabetes, hipertensão, síndrome metabólica e câncer.

O chá preto é o mais famoso. Seu sabor, varia conforme a localização geográfica, o tipo de folha, o cultivo e o processamento, que determinarão a quantidade de polifenóis, cafeína e aminoácidos encontrados na bebida. No entanto, as versões verde, branca e oolong são muito apreciadas.  Todas essas formas são variações da mesma folha, que conforme a oxidação e fermentação variam a cor e o sabor.

 Os polifenóis são os principais responsáveis pelo aroma e pelos efeitos benéficos à saúde, como as catequinas, a quercetina, o kaempferol e a miricetina. Esses polifenóis estão presentes em concentrações muito mais altas no chá verde do que no chá preto ou oolong.

A cafeína (um tipo de alcaloide) também é uma molécula importante encontrada no chá. Ela consegue passar a barreira hematoencefálica, por isso, considerada neurologicamente ativa, com função neuroprotetora. Não é à toa que vários medicamentos adicionam a cafeína na sua composição química.

O chá preto é o mais fermentado, por isso, mais escuro. Em seguida o oolong, que é parcialmente fermentado. O chá verde é muito pouco fermentado e branco não sofre nenhuma fermentação e o menos processado. Durante a fermentação da Camellia sinensis, algumas das catequinas se combinam para formar alguns fitoquímicos, como a teaflavinas complexas e outros flavonoides, que conferem sabor e cor característicos ao chá preto.

Durante muito tempo o chá verde era considerado um risco para a osteoporose, sobretudo para mulheres na pós-menopausa. No entanto, pesquisas mostram que as catequinas têm uma função protetora nos ossos. No entanto a cafeína tem ação contrária, ela reduz a absorção de cálcio e promove a excreção pela urina e fezes. A quantidade de cafeína no chá costuma ser 50% menos do que no café por causa da sua diluição. De qualquer forma, é bom não abusar na quantidade de chá verde ao dia, que varia de 3 a 5 xícaras ao dia.

Curiosidades:

  1. Os sabores do chá preto variam de salgado a doce e podem ser maltados, defumados, terrosos e com sabores de cítricos.
  2. Tradicionalmente, o chá é consumido naturalmente, ou seja, sem açúcar.
  3. O chá verde tem efeitos semelhantes ao estrogênio e podem ajudar na saúde óssea.

Bibliografia consultada

Hayat K, Iqbal H, Malik U, Bilal U, Mushtaq S. Tea and its consumption: benefits and risks. Crit Rev Food Sci Nutr. 2015;55(7):939-54. https://monicabenarroz.files.wordpress.com/2022/12/2015_hayat-k_et-al_tea-and-its-consumption_-benefits-and-risks.pdf

Yang CS, Wang H, Sheridan ZP. Studies on prevention of obesity, metabolic syndrome, diabetes, cardiovascular diseases and cancer by tea. J Food Drug Anal. 2018 Jan;26(1):1-13. https://monicabenarroz.files.wordpress.com/2022/12/2018_-yang_et-al_tea_studies-on-prevention-of-obesity.pdf

Khan N, Mukhtar H. Tea Polyphenols in Promotion of Human Health. Nutrients. 2018 Dec 25;11(1):39. https://monicabenarroz.files.wordpress.com/2022/12/2018_khan_mukhtar_tea-polyphenols-in-promotion-of-human-health.pdf

Lee DB, Song HJ, Paek YJ, Park KH, Seo YG, Noh HM. Relationship between Regular Green Tea Intake and Osteoporosis in Korean Postmenopausal Women: A Nationwide Study. Nutrients. 2021 Dec 26;14(1):87. https://monicabenarroz.files.wordpress.com/2022/12/2022_lee-et-al_relationship-between-regular-green-tea-intake.pdf

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close